domingo, 29 de janeiro de 2012

Segundo artigo do médico Paulo Tarcísio.

As diversas formas de medicina – a acupuntura

Ao amigo Luiz Gonzaga Cortez,

Amigo Gonzaga, continuemos com nossa viagem pelas distintas formas de medicina. Hoje vamos nos focar um pouco mais na Acupuntura, reconhecida como uma ciência originária da China e que conta com, dizem os econômicos, cerca de 5000 mil anos de tradição. Obviamente, em poucos parágrafos não é possível resumir com grande profundidade tão vasta ciência, mas vamos introduzir um pouco o assunto.

Compreender a acupuntura é difícil para nossa visão ocidental extremamente materialista e cartesiana por ser necessária a consideração de que o homem é formado por algo que está além do corpo físico.

Tanto um mineral quanto um vegetal se caracterizam por apresentarem corpos físicos. No entanto,os vegetais certamente têm algo a mais que os minerais. As filosofias orientais antigas chamavam esse “algo a mais” de corpo energético, ou corpo prânico, ou Qi.

O ser humano, assim como os minerais e vegetais, tem um corpo físico e um corpo energético; mas, além desses, também apresenta um corpo emocional e um corpo mental.

Com poucas exceções à regra, as doenças se caracterizam por apresentarem “raízes” nos 4 planos do homem: físico, energético, emocional e mental. Ao passo que a alopatia foca seu tratamento na raiz física da doença, a acupuntura atua num plano mais sutil, no plano energético.

Mas como, por meio de algumas agulhas, consigo atuar no meu corpo energético? A “energia” que circula em nosso corpo não está distribuída de maneira aleatória, mas de modo ordenado e lógico – baseia-se na ideia do equilíbrio dos opostos, Yin e Yang, sobre o qual se baseia todo o universo segundo os chineses.

Um desequilíbrio permanente nesse fluxo energético pode ser a causa ou a conseqüência de nossas enfermidades.

Por exemplo, se tenho uma tendinite, além da inflamação nos tendões – raiz física da doença – há também uma alteração no fluxo da energia do organismo. Se, através da acupuntura, reorganizo o fluxo energético, é grande a probabilidade de reverter a inflamação que há no físico, cessando ou reduzindo consideravelmente os sintomas da doença.

Essa é uma explicação extremadamente simplificada da fisiologia e patologia das enfermidades sob a ótica da acupuntura e medicina tradicional chinesa, mas é o que cabe num curto texto virtual. É certo que não há nada melhor que um bom acupunturista para, pessoalmente, esclarecer suas dúvidas sobre as doenças e se seu caso pode ser eficazmente tratado através dessa medicina extremamente barata e de raríssimos efeitos colaterais. Cada caso é um caso, cada paciente é um universo e um médico com uma boa dose de bom senso poderá ser-lhe muito útil.


Paulo Tarcísio Neto

Medicina UFRN

Nenhum comentário:

Postar um comentário