sexta-feira, 3 de fevereiro de 2012

Terceiro artigo do futuro médico Paulo Tarcísio Neto.


As diversas formas de medicina – a Homeopatia
Ao amigo Luiz Gonzaga Cortez
Prezado Gonzaga,
                Na última semana, conversamos um pouco sobre os princípios que estão por trás da acupuntura. Hoje nos focaremos na prática da homeopatia, sistema médico geralmente atribuído a Hahnemann, havendo quem afirme que suas raízes remontam a Paracelso, Hipócrates e aos mestres destes.
                Na medicina ocidental tradicional, se tenho uma febre, tomo uma medicação “anti-febre” (antipirética); se tenho dor, tomo uma medicação “anti-dor” (analgésica); se tenho uma inflamação, tomo uma medicação antiinflamatória, de maneira que se diz que a medicina alopata baseia-se no princípio da “Cura pelo oposto.” Isto é, se tenho um sintoma, tomo uma medicação que anula aquele sintoma, como para suplantar aquilo que está equivocado no corpo. Alopaticamente, atuamos para “consertar” o corpo.
                A homeopatia atua, por sua vez, não “consertando” o corpo equivocado, mas despertando nele a capacidade de consertar-se a si mesmo. Se observarmos bem, nosso organismo tem uma capacidade de auto-cura inata – se tenho uma infecção, meu próprio organismo iniciará um processo de defesa contra ele, geralmente curando-se sozinho. O que ocorre é que, por diversas razões, essa capacidade de nosso corpo está desequilibrada. Cabe ao médico homeopata reequilibrá-la para que o corpo cure a si mesmo. Trata-se de um processo “educativo”, por assim dizer.
                A “pedagogia” que nosso organismo compreende é a dos venenos. Se quero ensinar a um engenheiro a construir um prédio, por exemplo, devo dar-lhe diversos problemas virtuais de construção de prédios para que, quando encontre esses problemas na vida real, ele já saiba como resolvê-los. Se quero que meu corpo aprenda a curar uma febre, dou a ele um veneno que provoca febre, mas de uma maneira tão diluída, tão diluída, como um problema de matemática – servirá apenas para que ele, quando encontre o problema de verdade, “na vida real”, saiba como curá-lo.
                Desta maneira, diz-se que a homeopatia cura através dos semelhantes: ofereço ao meu paciente uma medicação que provocaria, em doses plenas, aquele sintoma; mas que está tão diluída ao ponto de ter o efeito contrário. Chama-se, na teoria homeopática, de “Energia Vital” à parte sutil do organismo que está desequilibrada e que se cura através da homeopatia e a preparação de suas medicações ocorre através das “dinamizações”, ambos conceitos demasiado longos para serem aqui explicados.
                Especialmente nas alergias, a homeopatia tem resultados excepcionais. Mas são diversas as enfermidades que encontram nela seu melhor tratamento. Cada caso é um caso, cada paciente é um universo. Não se pode generalizar. Existem excelentes homeopatas em Natal. Consultar-se com um é uma ótima maneira de descobrir um pouco mais do fascinante que é a homeopatia.

Paulo Tarcísio Neto       
Medicina UFRN

Nenhum comentário:

Postar um comentário