terça-feira, 17 de abril de 2012

Leia uma carta em português sem acentos.


 CARTAS DA EUROPA 1
>
> (NOVA SERIE)


 Uma viagem  a Ilha da Madeira

> Vou dar seguimento  as
> minhas “Cartas da Europa”, interrompidas a algum tempo, relatando minha recente
> viagem a Ilha da Madeira, pertencente a Portugal, isolada no meio do Atlantico, a 600 km ao norte de Marrocos.

> Parti do aeroporto de Gatwick, na Inglaterra, num charter
> que despeja semanalmente centenas de turistas ingleses avidos por
> temperaturas
> mais quentes em meio a um inverno tao frio. Apos um voo de tres horas e
> meia,
> aterrissamos no aeroporto  Santa
> Catarina, unico em Madeira, que eh uma obra prima de engenharia. Como a ilha
> nao tem grandes espacos planos, o aeroporto foi construido metade sobre
> colunas de concreto.
>
>
>
> A ilha recebe  turistas o ano todo, de modo que praticamente
> nao existe baixa-estacao. Muito finlandes, muito alemao. Todos os dias chega
> um
> cruzeiro e houve dias em que vi ate 3 cruzeiros no porto. No  centro da
> capital, Funchal, a primeira
> atracao que visitei foi o Mercado dos Lavradores, bem organizada, exibindo
> entre outros, produtos exoticos como banana, maracuja, um tipo de pinha
> chamado
> anona, tudo cultivado na ilha, que tem 54 km de comprimento e 23 km de
> largura
> somente. Fiz uma excursao a parte oeste da ilha, passando pelas montanhas do
> centro, e num determinado ponto chamado Encumeada, vi o mar no norte e no
> sul.
>
>
>
> As casas sao construidas em terreno escarpado sobre planos
> superpostos, de modo que as ruas e estradas sao sempre ladeira acima,
> ladeira
> abaixo num zigue-zague continuo. O unico vale existente fica na cidadela de
> Curral das Freiras, rodeadaa de montanhas vulcanicas. Este foi o refugio
> entrado por freiras da ordem de Sta. Clara numa epoca (1566) em que a ilha
> era
> assaltada por piratas.
>
>
>
> Funchal vive exclusivamente do turismo; a quantidade de restaurants e cafes eh enorme, o que aumenta a     competicao e baixa os precos.
> Em meio a uma temperature de 23 graus C fiz diversos passeios: caminhadas a pe
> ao longo de “levadas” (canais de irrigacao construidos no seculo XVIII),
> passeios no teleferico, visita ao Jardim Botanico, ao Museu de Arte Sacra,  a cidade velha reformada. Se voce acha que falando portugues vai se virar bem em Madeira, cuidado, pois o sotaque la eh mais forte que o de Lisboa e tive em varias ocasioes de pedir para repetir porque nao entendia bulufas.


> A comida eh razoavel, nao muito sofisticada. Existem tres
> tipos de cafe: “bica”, que eh um cafezinho simples; “garoto”, que eh um
> cafezinho com leite; e “chinesa”, que eh uma media de cafe com leite. Muita
> sopa, muita salada. Um sanduiche meio estranho chamado “bolo de caco”, que
> nao passa de um pao incrustado de presunto e passado na manteiga com alho.
>
> A minha melhor lembranca de Madeira foi a visita ao Museu de
> Arte Sacra, que exibe belissimos objetos de arte antigos, sobretudo do
> seculo XVI. Mas lamentei a falta de praia. Uma ilha cercada de mar e sem praia ...
> De qualquer maneira eu recomendaria ir a Madeira a qualquer um. Vale a pena.
>
> Maria English (Gracinha)
>
> PORTSMOUTH, Inglaterra
>
> Abril, 2012
>

Nenhum comentário:

Postar um comentário