quinta-feira, 28 de junho de 2012

"Imagem é tudo"

Sem políticas públicas para a área, fotógrafos se articulam e formam rede visando acompanhar tendências nacionais
Por Sérgio Vilar* [sergiovilar.rn@dabr.com.br]

Foto: Fábio Cortez/DN

“Imagem é tudo”. A frase virou quase aforismo. E antes valorizasse o segmento da fotografia. E produtores fotográficos nem querem “tudo” com suas imagens. Um movimento nacional já com braços articulados em Natal reivindica apenas uma cota específica na hora da divisão do bolo do orçamento destinado à cultura.
Depois da criação das redes potiguares de música, e da formação das redes de teatro e cinema, fotógrafos têm se articulado em torno da Rede Poti de Fotografia – uma espécie de braço da Rede de Produtores Culturais da Fotografia no Brasil. A intenção é acompanhar a tendência nacional de independência do setor nos meandros culturais.
“Não há política pública específica para a fotografia. O orçamento federal é destinado ao audiovisual. E neste bojo está o cinema, as artes plásticas, o grafite, a performance, o hip hop, a moda e também a fotografia. Só o cinema abocanha 85% dos recursos. Praticamente nada sobra pra gente”, lamentou o presidente da Aphoto, Alex Gurgel.
A Associação Potiguar de Fotografia é a única entidade em defesa do segmento no Rio Grande do Norte. Possui 120 associados em dia. Entre eles, profissionais renomados a exemplo de Marcelo Buainain, Adrovando Claro, Pablo Pinheiro, Ricardo Junqueira, e outros, além de milhares de simpatizantes cadastrados em suas redes sociais.
Alex Gurgel tem feito campanha para que fotógrafos potiguares tomem a iniciativa de ingressar nos conselhos e câmaras setoriais da cultura para defender mais espaço à categoria. “É claro que o conselheiro que é músico olhará com melhores olhos projetos musicais. O cineasta com o cinema. O poeta com a literatura. Precisamos de fotógrafos nesses campos para termos vez e voz”, sugeriu.
Um dos setores importantes neste quesito já pode ser pleiteado. Basta o fotógrafo entrar no site do Ministério da Cultura (www.cultura.gov.br/setoriais) e se cadastrar para a seleção de delegados estaduais para representar o Rio Grande do Norte no Conselho Nacional de Produtores Culturais da categoria. O Rio Grande do Norte já possui 30 cadastrados, atrás apenas de São Paulo, com 32.
“A fotografia é a mãe do cinema e prima mais velha das artes plásticas, da pintura. É o segundo produto mais consumido do mundo, dizem especialistas. O primeiro é o sexo, que usa até fotografia para promoção. É um segmento cultural que irá completar 200 anos. Merecemos mais atenção. Queremos um Salão da Fotografia, e não concorrer junto com esculturas e todo tipo de pinturas no Salão de Artes Visuais. Ou na disponibilidade dos recursos públicos, concorrer com o audiovisual. Fotografia não tem som”, reclama Alex Gurgel.
Encontro nacional


Foto: Divulgação

No último fim de semana, Alex Gurgel participou do Encontro Norte-Nordeste de Produtores Culturais da Fotografia. O evento aconteceu em Belém do Pará, e funcionou como prévia do Encontro Nacional que acontecerá no mês de Novembro, em Fortaleza. Antes disso, em 19 de Agosto, a Aphoto promove o Fotoriografia do Norte: um fórum para discutir a radiografar a fotografia potiguar.
“Abordaremos a questão a produção de livros de fotografia, o direito autoral, projetos culturais que envolvam o setor, a fotografia como veículo de inclusão digital, a história da fotografia no Rio Grande do Norte, e pretendemos convidar Itamar Nobre, da UFRN para propormos um curso de extensão na Universidade envolvendo a fotografia”. Alex ressalta que deste fórum sairá a Carta de Natal, que será levada ao encontro em Fortaleza.
Memória perdida
Uma das ideias da Rede Poti de Fotografia é a criação de uma Casa da Fotografia. Espaço para exposição, lançamento de livros, e principalmente um ambiente climatizado para acervo fotográfico impresso e digital, responsável pela memória fotográfica da cidade, hoje dispersa em computadores particulares ou nos setores de arquivos de jornais.
“Darei um exemplo: faremos pelo oitavo ano seguido a Expedição Noturna Natalina. Registramos em fotografia a iluminação de Natal. É um acervo que fica pra história. E nada recebemos por isso. A prefeitura premia a fachada mais bonita de casas e instituições. E quando acaba o período natalino e as luzes são retiradas, o que fica? A foto, o registro! Mas isso não é valorizado”, reclama Alex Gurgel.
A Aphoto também pretende criar o Dia do Fotógrafo Potiguar. Um processo com o pleito já corre nos corredores da Assembleia Legislativa. O Dia Nacional a Fotografia já é comemorado em 8 de janeiro. E o Dia Mundial, em 19 de agosto. A data escolhida para celebrar o Dia Potiguar da Fotografia foi 26 de setembro.
A data de 26 de setembro rende homenagem à provável primeira fotos tirada no Rio Grande do Norte. A autoria é do alemão Bruno Max Bourgard. Ele veio do Recife e clicou a imagem de flagelados da seca reunidos em frente à casa do então governador Tavares de Lira, na subida da Junqueira Aires – hoje o prédio abriga o Solar Bela Vista. A foto é datada de 1905.
Aphoto – Associação Potiguar de Fotografia
CONVOCATÓRIA FOTOGRÁFICA - DIA 03 JULHO

Haverá dia 03 de julho uma Convocatória geral da fotografia do Rio Grande do Norte.
Encontro marcado para as 18:30h no auditório SEBRAE/RN Natal.
Objetivos:
Apresentar aos fotógrafos, produtores culturais e interlocutores da fotografia, a necessidade de organização deste segmento no Rio Grande do Norte.
Fortalecer o segmento para gerarmos ações de desenvolvimento econômico, social e cultural no Estado.
Proposta:
Realizar um encontro, aberto a comunidade da fotografia em seus vários segmentos, em que iremos expor brevemente como encontra-se o cenário da fotografia do Rio Grande do Norte, do Nordeste e do Brasil.
Inicialmente serão expostas as pautas previstas:
O que é a RPCFB
Falar o que foi o ENNEFOTO.12 (PA)
Cadastro e eleições do CNIC (MinC)
A necessidade de organizar-se no segmento
Exemplos dos Estados vizinhos (CE e PE)
Como criar diálogos com o poder público
O que é a cadeia produtiva da Fotografia
Apontamentos e sugestões
Precisamos que nos ajudem a mobilizar esta convocatória para os 04 cantos do Rio Grande do Norte.
Aqueles que moram no interior do Rio Grande do Norte, por favor se manifestem por e-mail ou entrem em contato pelo telefone para tentarmos viabilizar o transporte com algum ponto de apoio.
É uma força tarefa enorme para fotografia, contamos com todos.
Forte abraço,
Interlocutores:
Henrique José
Pablo Pinheiro

Nenhum comentário:

Postar um comentário