quinta-feira, 12 de janeiro de 2012

Prevenção de câncer de próstata.

Por Paulo Tarcísio Neto / paulo_tarcisio@hotmail.com


Medicina UFRN.
A próstata é uma glândula exclusivamente masculina que pesa cerca de 20g e se localiza na pelve (região abaixo do abdômen). Sua função não está totalmente esclarecida, porém sabe-se que participa na produção do sêmen. O governo federal está cada vez mais preocupado com o que chama de “Saúde do Trabalhador”. Temos agora um programa de Saúde Pública com foco nos homens e um de seus aspectos mais relevantes é a investigação das doenças da próstata.
São duas as doenças que mais chamam a atenção na próstata masculina: a Hiperplasia Prostática Benigna (HPB) e o Câncer de Próstata. Ambas, fisicamente, se caracterizam por um crescimento da próstata, porém o câncer é formado por células malignas e tem naturalmente um maior risco de mortalidade.
Os sintomas de um paciente com HPB são de uma dificuldade cada vez maior de urinar com os anos, tornando-se o jato urinário cada vez mais fraco, associado a uma sensação de que não esvaziou a bexiga totalmente e a necessidade de fazer força para urinar. Porém certamente o pior para a qualidade de vida é a necessidade de acordar várias vezes durante a noite para ir ao banheiro. O tratamento para a HPB, dentro da medicina alopática, pode ser medicamentoso ou cirúrgico.
O problema é que no câncer de próstata, o 2º câncer mais comum entre os homens, como em quase todos os cânceres, temos sucesso em seu tratamento especialmente quando descoberto precocemente. Nessa fase, ele pode apresentar-se sem sintoma nenhum, ou como se fosse uma simples HPB.

Não está escrito na testa de ninguém a presença ou ausência de câncer, de modo que é indispensável para homens com mais de 50 anos a realização anual do exame de sangue chamado de PSA e do toque retal. Somente um dos exames não apresenta um nível elevado de segurança. Se há história familiar de câncer de próstata ou outros fatores de risco, o check-up deve ser feito a partir dos 45 anos.
Não necessariamente tais exames devem ser feitos por um urologista. Um bom clínico geral também pode realizá-los. A masculinidade se encontra em agir com coragem e valor apesar das circunstâncias e de nossos medos – é fazer aquilo que deve ser feito e não aquilo que gostamos ou não de fazer. Solicite o exame ao seu médico. Seja homem.
- Com post no Blog de Paulo Tarcísio Cavalcanti  e http://www.assessorn.com/, de Bosco Araújo, jornalista.

domingo, 8 de janeiro de 2012

Primeiras chuvas de 2012 foram fracas no litoral sul do RN.

As primeiras chuvas de 2012, no litoral sul potiguar, começaram a cair às 03h28 min de hoje, 8, mas fracas.Às 5h30 min, novas  fracas precipitações, seguidas de chuvas médias por volta de  07h15mim e 07h28min, mas rápidas, talqualmente os meteorologistas denominam de "pancadas". Em suma, foram chuviscos rápidos, mas as águas rolaram ladeira abaixo em Búzios e Tabatinga, Nísia Floresta. Há mais de 30 dias que não chuvia na região, o que estava ocasionando, além do calor, ventos com poeiras e mar bravio nos últimos dias, que coincidiram a fase da lua cheia. O navio africano que encalhou em Búzios, há mais de um ano, balança mais do que galhos de árvores com macacos. Os veranistas do litoral sul estão reclamando dos altos preços de alimentos nos mercadinhos de Pirangi do Norte e do Sul, Búzios, Tabatinga e Camurupim. Peixe de primeira, como cioba e cavala, estão sendo cobrados por 20 a 25 reais o quilo, enquanto o meca custa R$ 18,00. Roubalheira, dizem alguns consumidores, enquanto os comerciantes alegam que o pescado está escasso. A mesma ladainha mentirosa de sempre: quando chega o inverno, o peixe some e ficam dizendo que as chuvas impedem a pescaria. Agora estão falando que está escasso "não sei o porquê". 
O policiamento está bom. Os bombeiros estão presentes e atentos aos banhistas.O mar está bravio do litoral sul, principalmente em Búzios. Os pais não devem deixsr seus filhos menores a sós nas praias. Os "caldeirões" são constantes nesta época. Quem avisa amigo é.


Este é o ponto mais alto de Búzios: a ladeira da RN 063, onde estão as torres de telefonia celular. Local para se observar o panorama da praia de Búzios. A foto é de março de 2007. Em 18 de janeiro de 2004, salvo engano, começou a chover no litoral sul do RN. A chuvarada durou 3 dias de chuvas contínuas.


Enélio Petrovich, o nome maior da preservação histórica potiguar!

Na tarde de sexta-feira, 6, fui ao velório de Enélio de Lima Petrovich, no Instituto Histórico e Geográfico do RN, onde trabalhou durante quase 5 décadas em prol da preservação da maior instituição cultural potiguar. Dei os meus pêsames a sra. Miriam e aos filhos Enélio e Célio no salão principal do nosso IHG, onde Enélio Petrovich, o maior advogado em direito previdenciário do RN, era presença constante nas reuniões e encontros informais. Tornei-me sócio efetivo do instituto em 1983, graças ao convite de Enélio ( de sobrenome de  origem eslava, para uns, de origem germânica para outros), que foi referendado pelo confrade Minervino Wanderley. Tomei posse ao lado de outros confrades, cujos nomes não me recordo, mas me lembro que um deles foi Valério Mesquita, escritor, intelectual e político. Nunca exerci cargos no IHG porque nunca tive tempo e nem fui convidado para tal.
Não fui ao sepultamento do amigo de meus irmãos. Sim, Enélio era amigo de três irmãos meus: Cleóbulo, Francisco e Miguel. Foi amigo dos meus pais que me levaram muitas vêzes para assistir palestras de Cascudo e outros luminares da nossa cultura, nos anos sessenta. Os três irmãos não puderam comparecer, estavam fora do Estado e outro doente.
No velório, vi a governadora Rosalba Ciarline apresentar as condolência a dona Miriam e seus dois filhos e a filha. Fotografei o ambiente do velório. Recordei-me de alguns passagens da minha convivência com Enélio Petrovich, mas ainda não encontrei o momento para registrá-los. Tirei várias fotos e vou publicá-las amanhã ou depois de amanhã.
Estive com Jurandir Navarro, Ana Maria Cascudo Barreto e outros intelectuais da terra, como Racine Santos, Carlos Roberto de Miranda Gomes e outros. Gente do povo, moradores da Redinha, funcionários e seus familiares compareceram para dar o último a deus a Enélio. Encontrei-me com Jurema dos Santos Lima, minha colega e amiga do antigo Diário de Natal, prima do falecido, hoje funcionária do TRT/RN e outras pessoas que foram dar condolências à família enlutada.
No território potiguar, não teve outro homem que se preocupasse mais do que Enélio Petrovich com a conservação dos documentos mais antigos e importantes da história do Rio Grande do Norte. Que Deus o guarde em paz, Enélio de Lima Petrovich.