sexta-feira, 6 de dezembro de 2013

Ormuz Simonetti é elogiado.

sexta-feira, 6 de dezembro de 2013


ORMUZ BARBALHO SIMONETTI - UM HOMEM DE LUTA - PARABÉNS, HOJE É O SEU ANIVERSÁRIO E O NOSSO SÁBIO CONFRADE LHE DÁ O RECADO.


DR. CARLOS ROBERTO DE MIRANDA GOMES
ORMUZ BARBALHO SIMONETTI

Carlos D Miranda Gomes sexta-feira, 6 de dezembro de 2013.

  ORMUZ BARBALHO SIMONETTI - um homem de luta.
 CARLOS ROBERTO DE MIRANDA GOMES, do IHGRN e do INRG.

   Não data de longo curso a minha amizade com Ormuz, posto que começou na convivência cultural, quando pretendeu criar o Instituto Norte-Rio-Grandense de Genealogia. Naquela ocasião, nem sei mesmo como foi o nosso encontro e nem quem nos apresentou, embora já me agradasse saber ser o sogro de Catarina de Adilson Gurgel e Cristina e pai de Thiago, jovem e promissor advogado, a quem tenho particular admiração. Desde logo senti a sua disposição para o trabalho, que até se tornava difícil acompanhar, mas deu para chegar. Criamos o INRG. Depois também nos encontramos quando ele pretendeu ajudar o confrade Luciano Nóbrega, que estava com dificuldade para fechar a 1ª edição da Revista da ALEJURN. Foi você quem fez pesquisa de preços, providenciou as bonecas da obra e a sua impressão. Durante pequeno espaço de tempo, conviveu com alguns integrantes da Academia Jurídica, notadamente Jurandyr, Luciano, Maux, eu e Odúlio, mesmo que algumas pessoas interpretassem que ele “queria alguma coisa”, o que não é verdade, pois não tendo formação jurídica jamais poderia pleitear essa alegada “alguma coisa”. Mais adiante assumimos o encargo de ajudar Jurandyr Navarro na difícil tarefa de terminar o mandato de Enélio Petrovich e nos empenhamos, juntamente com João Felipe da Trindade para fazer um novo Estatuto Social do Instituto Histórico e Geográfico do Rio Grande do Norte, pois o então vigente datava de 1927, em desconformidade com as novas exigências do Código Civil. Aprovado o novo Documento Básico da Casa da Memória, já despertava uma pequena e gratuita oposição, sem justificativa. Apesar desse nosso trabalho, pretensos candidatos à Presidência do IHGRN não se lembraram dos nossos nomes e então resolvemos sair com uma chapa própria, tendo por cabeça o nome de Valério Mesquita. Fomos vitoriosos, arregaçamos as mangas e começamos a trabalhar. Quem frequenta a centenária Instituição é fácil ver as realizações já feitas, promovendo a modernização e atualização de procedimentos, celebração de cooperação técnica e financeira com órgãos públicos e privados, obtendo doação de material de expediente, computadores, três aparelhos de ar condicionado, verbas para tocar as inúmeras necessidades, atualização dos serviços prestados, liberação de certidões negativas federais e municipais, reordenamento de livros, reparação de salas, uma das quais para abrigar a Comissão que fará nova catalogação do acervo e muitas outras coisas mais. Mas o seu grande sonho era recuperar o auditório para que ele voltasse a servir para as aulas dos estudantes que por ali passam, as reuniões da Diretoria e palestras dos sócios, isto é, fez o bastante para despertar ciumadas, enfim, sem querer alimentou a “Rede de Intrigas”, que chegou sorrateira, covarde por denunciante anônimo ao IPHAN, logrando uma ordem de embargo e a disparada de mensagens grosseiras, não verdadeiras e tendenciosas, pela rede social, estas inauguradas por um confrade dos dois Institutos antes mencionados. Ormuz, Natal é uma cidade que sempre gostou de intrigas, endeusamento de uns e execração de outros, na direção que o vento dá, sem resguardo do princípio constitucional do contraditório e encontra abrigo em algumas pessoas que aderem sem saber nem do que se trata. Você é apenas a vítima da vez. Não perca o seu entusiasmo, pois a verdade será apresentada e todos conhecerão o seu caráter e o dos seus detratores, como também a indiferença ou omissão de outros. Hoje, nas comemorações dos seus 63 anos receba o meu abraço, a minha solidariedade e disposição de lhe ajudar a repor a verdade. Falo por mim, pois o IHGRN em breve dará a sua posição oficial. Lembro o pranteado Aldair Soares: ”Só deixo o meu Cariri no último pau de arara”.

AUTORIA DE CARLOS ROBERTO DE MIRANDA GOMES

Nenhum comentário:

Postar um comentário