sexta-feira, 6 de junho de 2014

Mundo

Homenagens a soldados e civis marcam 70 anos do Dia D

Cerimônias na Normandia reuniram líderes de 20 países e 1.800 veteranos da Segunda Guerra. Eventos começaram com fogos de artifícios ao longo da costa e terminaram com discursos de Obama e Hollande.
Os Aliados da Segunda Guerra Mundial lembraram, nesta sexta-feira (06/06), na Normandia, os 70 anos do desembarque das tropas aliadas na região, na data que ficou conhecida como Dia D. A cerimônia realizada na praia de Ouistreham reuniu 20 chefes de Estado e governo, entre eles o presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, a chanceler federal alemã, Angela Merkel, o presidente russo, Vladimir Putin.
A série de eventos em diversas localidades para relembrar a data crucial para a libertação da Europa ocupada pela Alemanha nazista começou durante a noite. Fogos de artifício iluminaram os céus dos 80 quilômetros de costa da Normandia. No dia 6 de junho de 1944, mais de 150 mil soldados, principalmente ingleses, franceses, americanos e canadenses, desembarcaram na região.
Pela manhã, alguns dos sobreviventes prestaram homenagem às 20 mil vítimas civis no memorial de Caen. "Quero hoje, neste 70º aniversário, que a homenagem da nação possa se dirigir a todos civis e militares. Iniciado pouco depois da meia-noite, com tumulto e fogo, esse dia terminou com sangue e lágrimas, lágrimas de dor e de alegria, no final de 24 horas que mudaram o mundo e marcaram para sempre a Normandia", declarou o presidente francês, François Hollande.
Evento começou com praias iluminadas
A cerimônia foi o primeiro reconhecimento oficial dos 20 mil civis que perderam suas vidas nas batalhas entre 6 de junho e 22 de agosto de 1944. "Essa batalha foi também a dos civis", afirmou Hollande. O presidente inaugurou durante o evento um monumento dedicado ao sofrimento e sacrifício da população da Normandia.
De Caen, Hollande seguiu para o cemitério de Coleville-sur-Mer, onde participou, ao lado Obama, de uma cerimônia em homenagem aos dez mil soldados americanos enterrados no local.
Cerca de 1.800 veteranos participaram das cerimônias
"O grito dos Estados Unidos, o nosso compromisso com a liberdade, com a igualdade, está escrito com sangue nestas praias. Ao amanhecer, o sangue tingia a água e as bombas cortavam o céu. Milhares de paraquedistas caíram em zonas erradas, milhares de rajadas atingiram carne e areia. Companhias inteiras caíram em minutos. A praia do inferno conquistou o seu nome", disse Obama.
Obama homenagenou veteranos em Coleville-sur-Mer
O discurso do presidente americano durou 25 minutos e foi interrompido diversas vezes para aplausos aos 1.800 veteranos que participaram das cerimônias. "Trabalhamos para transformar antigos adversários em novos aliados. Construímos uma nova prosperidade. Permanecemos, mais uma vez, ao lado das pessoas deste continente no combate até que um muro foi derrubado e uma cortina de ferro também", lembrou Obama do momento atual.
À tarde, os presidentes voltaram a se encontrar na cerimônia realizada na praia de Ouistreham, que reuniu 20 chefes de governo Estado e governo. Além de Merkel, Putin e Obama, estiveram presentes a rainha Elizabeth 2ª, o príncipe Charles e o presidente eleito da Ucrânia, Petro Poroshenko.
No evento, Hollande homenageou a "coragem do Exército Vermelho" durante a Segunda Guerra, e lembrou a contribuição decisiva da antiga União Soviética para o fim do conflito.
 Artistas simulam o famoso desembarque, 70 anos depois
Um jantar oferecido pelo presidente francês, no Palácio do Eliseu, em honra à rainha da Inglaterra encerra os eventos oficiais em lembrança do Dia D.
CN/dpa/lusa/afp/ap

DW.DE

Nenhum comentário:

Postar um comentário