sábado, 8 de fevereiro de 2014

Filha de Sílvio Santos espera o primeiro filho.

Por CARAS Digital 1 hora e 23 minutos atrás

Patrícia Abravanel está grávida do primeiro filho

A filha de Silvio Santos espera seu primeiro filho ao lado do deputado Fabio Faria

A apresentadora Patrícia Abravanel está grávida de seu primeiro filho com o deputado federal Fabio Faria. A informação foi confirmada pela Caras Digital com fontes próximas à apresentadora, na tarde desta sexta-feira, 7. Patrícia estaria grávida há cerca de dois meses.
O casal assumiu publicamente o romance em novembro de 2013, mas rumores davam conta de que eles estavam juntos desde julho. Fabio Faria é ex-namorado de Sabrina Sato e Adriane Galisteu.
Em sua conta no Instagram, Patrícia publicou uma imagem de dois pares de sapato -- um grande e outro de criança --, com a legenda: "Amor. Família. Fabio Faria". Centenas de fãs parabenizaram a apresentadora pela novidade.
Silvio Santos confirmou a gravidez em entrevista para a revista Veja São Paulo. "O bebê foi feito na Florida”, disse Silvio para a publicação.
Recentemente, o apresentador brincou com a suposta gravidez da filha durante gravação de seu programa no SBT.
"Patrícia, eu vou dizer uma coisa que não vai te agradar", disse Silvio. "O que?", perguntou Patrícia desconfiada. "Você tá parecendo uma bolinha no vídeo", respondeu o pai.
Patrícia entrou na brincadeira. "Eu tô, eu engordei um pouquinho. Você não dá um desconto hein?", disse bem humorada. "Você está com uma cara de bolacha", insistiu Silvio. "Eu tô? Não precisa detonar assim também", disse a filha gargalhando.
Silvio questionou se viria um netinho por aí. "Você esta grávida?". "Não. To comendo demais mesmo", brincou Patrícia na ocasião.

 




quinta-feira, 6 de fevereiro de 2014

E não é que acaba mesmo!
Oh,
We close our eyes
The perfect life, life
Is all we need
(Moby)
 
De tanto roubar frases - o único roubo que a minha mãe ainda me permite fazer-, estou começando a me esquecer de onde e de quem foi feito o furto... Ah, viva o esquecimento! O que o cérebro não lembra; o coração não sente, não é mesmo?!
Pois bem, acho que foi Shakespeare quem disse: “Os gregos inventaram de tudo, até mesmo o homem”. Então, se o escritor inglês tiver mesmo razão, ao inventar o homem, eles inventaram também uma forma de explicar o amor e o desamor.
E está lá na mitologia grega a história de Orfeu e Eurídice: após ser picada por uma cobra, no dia do seu casamento, ao andar sozinha na floresta... (aqui abro um parêntese: o que danado Eurídice, com tanta coisa melhor para fazer, no dia do seu casamento, foi andar sozinha na floresta? Interessante é que a mesma pergunta eu faço a Eva: com tantas frutas para serem comidas, foi logo comer a maçã? É... caro leitor: a literatura é machista! A culpada é sempre a mulher... fecho aqui o parêntese!). Volto a Eurídice. Morta pela picada da cobra. Orfeu inconsolado e extremamente apaixonado, pega sua lira, vai ao mundo dos mortos, tentar convencer Hades a deixá-la voltar ao mundo dos vivos. E não é que Orfeu consegue. A música tem esta magia. Encanta até o sujeito que é ruim da cabeça e doente do pé...
Hades libera Eurídice. Ela pode voltar. Mas... Se... então, houve duas condições: “Eurídice pode voltar, mas você vai à frente e ela vai logo depois; se você olhar para trás, Eurídice morrerá novamente”... e lá se foi Orfeu, sem celular, sem WhatsApp, para mandar uma mensagem: “E aí, meu amor: tudo beleza aí atrás?!”. E Orfeu não resiste! Orfeu olha para trás. Eurídice morre! Pois para os gregos, ao olhar para trás, Orfeu mostrou a sua desconfiança em Eurídice... a desconfiança é uma arma mortal para o amor.
Interessante é que Padre Antônio Vieira, que considero um dos maiores escritores, colocou a distância, o tempo e a ingratidão, como armas mortais para destruição do sentimento maior, e real sentido da vida: o amor. Mas se esqueceu de colocar a desconfiança como a mais mortal delas...
Viver é negócio muito perigoso, já dizia Guimarães Rosa. E quem vive apaixonado, amando ao que faz, corre um risco terrível de ao olhar para trás, tornar o seu amor algo sem sentido. Pois a desconfiança, do olhar para trás, leva a racionalização do amor. E o amor não pode ser nem visto, nem explicado e nem entendido (leiam Eros e Psiquê), sob pena dele ser destruído. Era por isso que Eros (Cupido) andava com uma venda nos olhos...
Portanto, sem tirar a venda dos meus olhos, consigo enxergar outra coisa interessante: Nelson Rodrigues, meu outro guru na literatura, afirmava que se o amor acabou era por que não era amor. Discordo! Amor acaba sim!
Em 16/05/1964, Paulo Mendes Campos escreveu uma crônica para a revista Manchete, cujo título era “O AMOR ACABA”. E para o escritor mineiro, não é que acaba mesmo... Acaba em “apartamentos refrigerados, atapetados, aturdidos de delicadeza, onde há mais encanto que desejo; acaba em salas esmaltadas com sangue, suor e desespero (aqui caro leitor, qualquer semelhança com os nossos hospitais de urgências é mera coincidência); na usura o amor se dissolve; o amor acaba e em Brasília, o amor pode virar pó; às vezes, o amor acaba como se fosse melhor nunca ter existido... a qualquer hora o amor acaba; por qualquer motivo o amor acaba: para recomeçar em todos os lugares e a qualquer minuto o amor acaba”...
Ensinar, eu já disse e vou repetir milhões e milhões de vezes, é um ato de amor. E ensinar medicina (a arte de amar ao próximo) é duplamente um ato de amor. Portanto, pelo amor de Deus: não nos obriguem a olhar para trás! Não nos façam - além de voltar o nosso pescoço para trás-, retirar a venda que cobre os nossos olhos. Deixem-nos continuar cegos! “Não existe nada mais aborrecido no mundo do que a ida ao oftalmologista para que ele nos avalie o grau dos óculos e escolha as novas lentes”... pois, o professor vive de sonhos. Vive de ilusões. Vive na certeza ingênua que vai mudar o mundo; vai mudar as pessoas. O professor pode sim, como escreveu Francisco Azevedo, no seu livro “O Arroz de Palma”, ser aquele farmacêutico a passar o algodãzinho com álcool, soprar a bunda da terra e lhe aplicar à injeção que nos aplacará todas as dores..
Eu sei que tudo isso não passa de um romantismo barato e louco – e que as bolsas de valores, as relações on line, etc. etc. são o que interessam-, mas não se esqueçam: “louco é aquele que perdeu tudo, menos a razão”... e ai daquele que desejar viver sem uma ilusão. Pagará um preço muito alto por isso!
Pois AMOR “é um prato que, quando se acaba, nunca mais se repete!”.
Francisco Edilson Leite Pinto Junior – Professor, médico e escritor.
 

terça-feira, 4 de fevereiro de 2014

Shows inéditos e de graça embalam veraneio em Natal
Novo projeto musical traz à cidade sete shows em palco montado no Largo do Teatro Alberto Maranhão, na Ribeira

Atrações musicais premiadas e ainda inéditas em Natal desembarcam neste mês de fevereiro para apresentações gratuitas em um palco montado no Largo Dom Bosco (Ribeira). Serão sete apresentações, divididas em dois dias seguidos de shows. E o projeto TEM VERÃO SOM NATAL vem para ficar. A intenção é engordar o calendário de eventos da cidade nos próximos anos, com apresentações qualificadas e de graça, sempre durante a estação veraneio.

“O TEM VERÃO SOM NATAL é um projeto ousado, que nasce com potencial de crescimento. E já neste primeiro ano traz a Natal atrações pinçadas a dedo, em um período do ano carente de bons shows musicais, com forte presença de turistas e, o melhor: com acesso aberto a quem gostar de boa música”, destaca o autor do projeto, Rainel Dantas de Fontes. O TEM VERÃO SOM NATAL terá patrocínio da AMBEV, via Lei Câmara Cascudo de Incentivo à Cultura/Governo do RN.

Atrações, datas e local
Não, nenhuma banda construída na mídia de grande massa compõe o line up do TEM VERÃO SOM NATAL. Mas todas elas já possuem o reconhecimento da crítica musical e de nomes consagrados, como Arnaldo Antunes e Zeca Baleiro. A banda maranhense Criolina, por exemplo, foi a vencedora do Prêmio Sharp de Música em 2011. E Felipe Cordeiro é a nova sensação da música paraense, parceiro de Arnaldo Antunes na canção Ela é Tarja Preta.

Estas são as atrações inéditas na cidade, na programação do novo projeto musical. Outras duas já estiveram por aqui e arrebanharam milhares de pessoas: a banda liderada por Fernando Catatau: os cearenses do Cidadão Instigado, e a Orquestra Contemporânea de Olinda – um dos grupos mais conceituados da atual e sempre rica cena musical pernambucana. Além deles, as bandas locais DuSouto e Talma & Gadelha, e ainda a “the voice” Khrystal e banda.

Os shows acontecem dias 15 e 16 de fevereiro, a partir das 18h. O palco será montado na praça Augusto Severo, em frente ao Teatro Alberto Maranhão. No sábado se apresentam Talma & Gadelha, Criolina, Du Souto e Cidadão Instigado, nesta sequência. No domingo, dia 16, sobem ao palco a Orquestra Contemporânea de Olinda, Khrystal e Felipe Cordeiro. Todos os shows serão gratuitos. Também haverá uma feira de artigos variados nas proximidades do palco.

SERVIÇO
Projeto TEM VERÃO SOM NATAL
Local: Largo do Teatro Alberto Maranhão (praça Augusto Severo), na Ribeira
Datas e hora: dias 15 e 16 de fevereiro (sábado e domingo), a partir das 18h
Atrações:
Sábado: Talma & Gadelha, Criolina, Du Souto e Cidadão Instigado
Domingo: Orquestra Contemporânea de Olinda, Khrystal e Felipe Cordeiro
- Toda a programação é gratuita
* Contato para entrevistas: 9929-6595 (Sergio Vilar)

VÍDEOS:
Orquestra Contemporânea de Olinda: http://www.youtube.com/watch?v=KXhFG9OiyMU

Orkut suplantado pelo FEICE.

BRASIL

Fonte: Voz da Alemanha.

Facebook chega aos 10 anos como vencedor na batalha contra o Orkut

Para entrar no Brasil, criação de Zuckerberg teve que desbancar o então favorito Orkut, numa pequena batalha que refletiu divisões sociais e hábitos. Hoje, brasileiros formam terceiro maior grupo de facebookianos.
Quando, há exatos dez anos, o Facebook nasceu, os brasileiros já tinham sua rede social – e praticamente a dominavam. E demorou até que a criação de Mark Zuckerberg suplantasse o Orkut, numa pequena batalha por usuários, rica em polêmicas, que refletiu divisões sociais e hábitos do país.
Início de 2012. O Orkut havia acabado de ser ultrapassado pelo Facebook em número de usuários no Brasil, quando uma mensagem falsa, atribuída a Zuckerberg, acusava os brasileiros de estarem estragando sua rede social.
No texto, que logo se tornou viral, o falso Zuckeberg afirmava que os brasileiros não sabiam se comportar na internet e, assim como faziam no Orkut, estavam enchendo sua rede com recados coletivos e spams. A polêmica exemplifica a distinção que existia na época entre os usuários das redes sociais – e um pouco de preconceito.
"O grande site de redes sociais que tínhamos no Brasil era o Orkut. Quando o Facebook entrou com uma nova proposta, ele agregou um grupo que é reconhecido como uma elite socioeconômica e durante um tempo houve uma espécie de distinção, como se as classes mais baixas estivessem no Orkut e as mais altas, no Facebook", afirma Vinícius Andrade Pereira, professor de comunicação da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (Uerj).
Rede social conseguiu ultrapassar todos os concorrentes
Segundo ele, a distinção está relacionada à história do Facebook no mundo. Muito presente nos Estados Unidos e em alguns países da Europa, o site atraiu primeiramente brasileiros que tinham amigos em outros países – logo a parcela mais elitizada da população. E a experiência dos brasileiros no Orkut acabou, de tabela, facilitando a transição de uma rede social para outra.
"Eles se viam obrigados a ter um perfil nessa rede para poder se relacionar com esses amigos. Assim, o Facebook é ajudado com essa história singular, mas, mais do que isso, ele ganhou essa popularidade também porque já tínhamos na cultura brasileira uma experiência anterior forte com o Orkut", diz Pereira.
Democratização da rede
A migração em massa dos brasileiros para o Facebook se tornou logo irrefreável. E o site acabou sendo o grande vencedor da batalha entre as redes sociais. Em 2008, foi lançada sua versão em português. No ano seguinte, apenas 1,3 milhão de brasileiros estavam cadastrados nessa rede.
Mas, no fim de 2011, a empresa se tornou a maior rede social presente no território brasileiro, com mais de 30 milhões de usuários, deixando para trás o Orkut, então com cerca de 29 milhões. Atualmente, mais de 76 milhões de pessoas de todas as faixas etárias acessam o Facebook no Brasil.
"Em três anos o Orkut perdeu mais de 95% dos acessos que costumava ter no Brasil. Há um ano, por exemplo, contava com apenas 2% do público de redes sociais brasileiras, enquanto o Facebook superava 66%", conta Maria Paula Sibilia, professora de comunicação da Universidade Federal Fluminense (UFF). Hoje há cerca de 6 milhões de brasileiros no Orkut.
Além de desbancar a concorrência, o Facebook bateu recordes no país. Em 2012, o Brasil foi onde a rede mais cresceu em número de usuários. Segundo a consultoria SocialBaker, naquele ano o Brasil era o terceiro país com o maior número de pessoas registradas, atrás de EUA e Índia. Não há ainda estudo consolidado sobre 2013, mas dados preliminares apontam a manutenção das três primeiras posições do ranking.
Compartilhar a vida
Zuckerberg criou o Facebook para estudantes da Harvard
A inovação no design e a facilidade de usar as suas ferramentas foram essenciais para o sucesso do site. Com um visual mais dinâmico e moderno, além de possuir uma versão para smartphones, o Facebook conseguiu roubar a comunidade do Orkut e atrair usuários de todas as idades, inclusive de gerações que descobriram a internet nos últimos anos.
Esse espaço que possibilitou novas formas de expressão, além da comunicação rápida e ampla entre seus integrantes, acabou se tornando fundamental no cotidiano de muitos usuários. Para alguns, o site é quase um diário aberto de suas vidas.
"O brasileiro adora essa exposição pública da vida privada na timeline da rede social", conta Pollyana Ferrari Teixeira, professora de comunicação da PUC- SP. Para a especialista, o brasileiro possui verdadeira adoração em compartilhar indignações, sonhos, protestos e informações. "E o Facebook ajudou a popularizar esse hábito", completa.
Em 2012, os brasileiros foram o público mais ativo do site, responsáveis pelo maior número de publicações, segundo a SocialBaker. Eles postam quase de tudo: textos, fotos, vídeos, músicas, artigos de jornais. A família, assim como na sociedade em geral, é um tema central. Uma pesquisa da AVG mostrou que, no Brasil, 94% dos pais publicam fotos de seus filhos no Facebook.
Na rede, outro motivo de orgulhos dos brasileiros são as viagens. Os aeroportos do país são os lugares preferidos de marcação. Além disso, uma pesquisa da E.life apontou que 98% dos entrevistados no Brasil destinam às redes sociais a maior parte do tempo em que ficam na internet.
Futuro incerto
Entrada na bolsa foi com revés
Mas nem tudo é perfeito no Facebook. Com a expansão da empresa, mudanças de ordem econômica estão alterando, aos poucos, o perfil da rede social. Nos últimos anos, além de informações de amigos, os usuários passaram a ser bombardeados com propagandas. O fluxo das postagens também começou a ser controlado e, para uma mensagem atingir mais usuários, é preciso pagar.
Além disso, o site também é acusado de armazenar informações sobre seus usuários e de não garantir a privacidade ao repassar dados para a Agência de Segurança Nacional dos Estados Unidos (NSA).
"Estamos falando de uma ideia de liberdade de comunicação em múltiplos canais de maneira livre, democrática e gratuita. Se esses princípios que regiam a expressão nas redes sociais estão sendo abalados por interesses econômicos e eventualmente políticos, é possível que isso comece a minar o Facebook, que já começa a experimentar algumas turbulências", opina Pereira.
Nesse espaço onde a comunicação é rápida e as mudanças são aceleradas é difícil prever como serão os próximos dez anos do Facebook no Brasil e no mundo. Para especialistas, a hegemonia da rede não está garantida. Segundo Teixeira, nos últimos anos várias redes sociais nasceram e morrem, e o destino do Facebook pode estar ameaçado por um concorrente já existente, o Google Plus.

DW.DE

Teremos algum policial na Polícia da ONU?

Conferência da Associação Internacional dos Centros de Treinamento de Manutenção de Paz (IAPTC) – 2014

Entre os dias 23 e 26 de junho de 2014, em Jacarta/Indonésia, será realizada a 20ª Conferência da Associação Internacional dos Centros de Treinamento de Manutenção de Paz (IAPTC). Anualmente, o Brasil é representado por militares.
iaptc
Teremos algum policial brasileiro com experiência participando dos painéis e temas afetos a policiamento internacional (Polícia da ONU – UNPOL)?
Para mais, site do evento: http://www.pkc-indonesia.mil.id/events/iaptc
The Conference will provide a unique platform for those who work in the field of peacekeeping education, training and operations to come together and discuss relevant key issues. For effective and purposeful peacekeeping operations it is essential for all stakeholders to operate in partnership, sharing information and knowledge.