quinta-feira, 30 de junho de 2016

Redepetro quer agora a economia colaborativa.




Foto por assessoria/divulgação
As mudanças nos paradigmas econômico, social e ambiental a partir de um novo modelo de negócio baseado na economia colaborativa, estiveram em pauta ontem, 28, durante a palestra ministrada pelo presidente executivo da Fundação Nacional da Qualidade (FNQ), Jairo Martins. O debate fez parte da assembleia ordinária da Redepetro/RN, realizada no auditório do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (SEBRAE), em Mossoró, parceiro da associação.

Além da presença de líderes das empresas filiadas à Redepetro, o evento contou com a participação de parceiros, como o Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial (SENAC) e a representação da sociedade civil organizada, através da Câmara dos Dirigentes Lojistas (CDL).  Durante a palestra, o presidente da FNQ abordou a economia colaborativa como uma das tendências de modelo de negócios, que surge diante das mudanças de cenários.

“É um ecossistema econômico sustentável, construído em torno da partilha de recursos humanos, serviços e produtos que incluem a criação, a distribuição e o comércio partilhado e o compartilhado. O consumo por pessoas e negócios focados em pessoas”, explicou Jairo Martins.

Segundo ele, essa tendência econômica encontra sua base conceitual no acesso, que ganha mais importância do que a posse e na possibilidade de ser fornecedor e consumidor ao mesmo tempo. Além disso, a monetização dos ativos ou estoques, a oferta baseada na necessidade e um formato de consumo mais inteligente e humano formam a base do conceito. Os eixos econômico, social e tecnológico constituem os pilares desse modelo.

EXCELÊNCIA DA GESTÃO


A palestra abordou ainda a importância da busca pela excelência da gestão. “Em todas as situações você tem que buscar a excelência”, destacou Jairo Martins, lembrando que a má qualidade da gestão é a principal barreira para o sucesso de um empreendimento. “O sucesso é a combinação harmônica da relação de causa e efeitos”, complementou.

O presidente do comitê Gestor da Redepetro/RN, Gutemberg Dias, que também integra o Conselho Curador da FNQ, explica que as assembleias da entidade são mensais, porém, essa foi a primeira vez que a programação recebeu um representante da Fundação Nacional da Qualidade. Dada a importância do tema, que foi tratado inclusive no Congresso Nacional da FNQ, a palestra foi aberta a outros interessados. “A gestão para excelência deve pautar as organizações empresariais e a FNQ tem um papel importante a desempenhar com essas organizações”, ressaltou Gutemberg Dias.

Ao final da sua participação, Jairo Martins destacou a relevância e a necessidade de momentos como esse. “É isso que nós precisamos. O Brasil é uma cadeia de valor que tem que ser excelente de Norte a Sul, de Leste a Oeste. A gente não pode ter mais ilhas de excelência e pensar tudo que é de bom acontece no Sul do País. Não, vem acontecendo no Brasil como um todo e acho muito importante ter um representante da região Nordeste no Conselho Curador”, afirmou.

“O tema de gestão é essencial para a melhoria da competitividade e nessa parceria Sebrae/Redepetro a gente busca constantemente a elevação da qualidade das empresas”, complementou o analista técnico do Sebrae, Robson Lopes.

Luciana Araújo