sexta-feira, 15 de julho de 2016

Europa

Autor de ataque em Nice é formalmente identificado

Motorista do caminhão que avançou contra multidão é um homem de origem tunisiana de 31 anos. Motivos não estão claros, mas autoridades destacam presença jihadista na cidade turística no sul da França.
O motorista do caminhão que avançou contra uma multidão em Nice, no sul da França, matando ao menos 84 pessoas, foi formalmente identificado, disseram fontes policiais na manhã desta sexta-feira (15/07). Trata-se de um tunisiano de 31 anos de idade.
Identificado como Mohamed Lahouaiej Bouhlel, o agressor não estava na lista de vigilância dos serviços de inteligência franceses, mas era conhecido pela polícia por ligação com crimes comuns, como roubo e violência com arma, disseram as fontes, citadas por agências de notícias. Os documentos do homem, que vivia em Nice, foram encontrados no caminhão.
Segundo o ministro do Interior, Bernard Cazeneuve, 18 pessoas estão em estado grave após o ataque em Nice na noite desta quinta-feira, durante festividades por ocasião do Dia da Bastilha, data nacional da França. Milhares de pessoas estavam reunidas na famosa avenida à beira-mar Promenade des Anglais para acompanhar a queima de fogos de artifício.
O caminhão de 25 toneladas percorreu a via logo após o fim da queima de fogos, por volta das 22h30. Segundo autoridades, o veículo trafegou por cerca de dois quilômetros, até o motorista ser morto a tiros pela polícia.
Várias crianças estão entre as vítimas. O hospital infantil de Nice disse ter tratado cerca de 50 crianças e adolescentes feridos no ataque, incluindo dois que morreram durante ou após serem submetidos a cirurgia.
Uma testemunha disse ter pensado que o agressor estava disparando tiros enquanto dirigia. "Eu vi aquele caminhão branco enorme passando em alta velocidade", contou Suzy Wargniez, de 65 anos de idade, que assistia à queima de fogos de um café na avenida. "Estava atirando."
Vítima após atentado em Nice Nice amanheceu em luto após o ataque, com sangue e destroços na avenida à beira-mar
Cena islamista
Na manhã desta sexta-feira, o caminhão – um veículo alugado, segundo autoridades – ainda estava no local onde parou na noite anterior. Sangue e destroços estavam espalhados sobre a avenida à beira-mar. Uma autoridade local disse que dentro do caminhão foram encontradas armas e granadas.
Até a manhã de sexta-feira, nenhum grupo havia reivindicado responsabilidade pelo ataque. A polícia disse estar tentando estabelecer se o motorista tinha cúmplices na cidade, conhecida por ligação com a militância islâmica.
 
Assistir ao vídeo 01:05

As chocantes imagens do atentado

Nice, com 350 mil habitantes, tem um histórico de resort aristocrático, mas também viu dezenas de seus moradores viajarem para a Síria para lutar ao lado de extremistas – caminho seguido por outros autores de atentados do "Estado Islâmico" (EI) na Europa.
"Nem o local nem a data são coincidência", disse Claude Moniquet, ex-agente da inteligência francesa e consultor de segurança, ressaltando a presença jihadista em Nice e o fato de que o 14 de Julho marca a Revolução Francesa.
Na madrugada, o presidente da França, François Hollande, afirmou que "o caráter terrorista" do ataque com um caminhão em Nice "não pode ser negado".
Em curto pronunciamento na televisão, o chefe de Estado disse ainda que vai prorrogar por mais três meses o estado de emergência que vigora na França desde os atentados de 13 de Novembro. Horas antes ele havia dito que o estado de emergência iria terminar no próximo dia 26 de julho, depois de já ter sido prorrogado três vezes pelo Parlamento.
"A França como um todo está sendo atacada pelo terrorismo islâmico", afirmou Hollande. "Vamos mostrar a mais absoluta vigilância e determinação. Temos de fazer de tudo para lutar contra o flagelo do terrorismo."
Na manhã de sexta-feira, o primeiro-ministro, Manuel Valls, anunciou três dias de luto nacional.
LPF/rtr/afp/dpa

quarta-feira, 13 de julho de 2016

As criaturas bizarras encontradas por expedição americana em áreas mais profundas do oceano

BBC
  • 12 julho 2016
Compartilhar
Espécime rara de água-viva têm tentáculos longos e curtosImage copyrightNOAA OFFICE OF OCEAN EXPLORATION AND RESEARCH
Image captionEspécime rara de água-viva têm tentáculos longos e curtos
Uma imagem de uma espécie desconhecida de água-viva tirada por uma expedição científica em abril na região mais profunda do oceno rodou o mundo pela internet.
Registrado a 3,7 mil metros abaixo da superfície, o espécime se parecia mais com uma critura de sonhos e fantasia de ficção científica do que um animal do nosso planeta - e esse misto de estranhamento e fascinação fez com que essa e outras fotos e vídeos da mesma expedição viralizassem.
A equipe de biólogos marinhos da Administração Oceânica e Atmosférica Nacional (NOAA, na sigla em inglês), uma agência do governo americano, explorou a Fossa das Marianas nos últimos três meses e descobriu um ecossistema povoado por criaturas bizarras.
Com 2,5 mil km de comprimento e 69 km de largura, a Fossa das Marianas, localizada ao sul do Japão, marca a fronteira entre duas placas tectônicas. Ela chega a uma profundidade de até 11 mil metros.
EnteropneustaImage copyrightDEPTO. DE PESQUISA E EXPLORAÇÃO OCEÂNICA/NOAA
Image captionEssa enteropneusta roxa e translúcida é apenas um dos animais estranhos observados na Fossa das Marianas
Dividida em três etapas, a missão começou em 20 de abril e foi encerrada no último domingo. Ela faz parte de uma empreitada maior, com três anos de duração, para conhecer melhor regiões do Pacífico - e, a julgar pelo que foi encontrado até agora, muitas outras revelações ainda estão por vir.
Usando um potente sonar, os pesquisadores identificavam a presença de criaturas interessantes do fundo do oceano, e enviavam um veículo submarino operado remotamente para capturar imagens em alta resolução.
Além da nova espécie de água-viva, os cientistas registram o primeiro espécime vivo de um "peixe-fantasma", uma lesma marinha e uma esponja até então desconhecidas, minhocas marinhas, uma enguia com uma cabeça estranha, entre outros animais que habitam as profundezas do oceano. Confira:
'Peixe-fantasma'Image copyrightDEPTO. DE PESQUISA E EXPLORAÇÃO OCEÂNICA/NOAA
Image captionApelidado de "peixe-fantasma", esse espécime da família 'Aphyonidae' tem pele gelatinosa e transparente
Lesma-do-marImage copyrightDEPTO. DE PESQUISA E EXPLORAÇÃO OCEÂNICA/NOAA
Image captionSegundo cientistas, essa lesma-do-mar é o provavlemente parte de uma nova espécie
Água-vivaImage copyrightDEPTO. DE PESQUISA E EXPLORAÇÃO OCEÂNICA/NOAA
Image captionEssa água-viva foi registrada a 800 metros de profundida, flutuando sobre um minivulcão submarino
Crustáceos em haste de esponjaImage copyrightDEPTO. DE PESQUISA E EXPLORAÇÃO OCEÂNICA/NOAA
Image captionDois pequenos crustáceos pousados sobre a haste de uma esponja parecem posar para a foto
CoralImage copyrightDEPTO. DE PESQUISA E EXPLORAÇÃO OCEÂNICA/NOAA
Image captionCientistas fotografaram esse tipo incomum de coral fazendo círculos no fundo do oceano
PeixeImage copyrightDEPTO. DE PESQUISA E EXPLORAÇÃO OCEÂNICA/NOAA
Image captionEsse peixe da família 'Ophidiidae' tem um formato de cabeça pouco usual e pode ser uma nova espécie, dizem os pesquisadores
CoralImage copyrightDEPTO. DE PESQUISA E EXPLORAÇÃO OCEÂNICA/NOAA
Image captionMissão registrou esse espécime ainda muito jovem de um coral da família 'Isididae'
Água-viva-de-penteImage copyrightDEPTO. DE PESQUISA E EXPLORAÇÃO OCEÂNICA/NOAA
Image captionUm dos estranhos tipos de águas-vivas-de-pente documentados na expedição
AnêmonaImage copyrightDEPTO. DE PESQUISA E EXPLORAÇÃO OCEÂNICA/NOAA
Image captionOs tentáculos dessa anêmona encontrada encrustada em uma rocha flutuam de acordo com a correnteza
Esponja desconhecidaImage copyrightDEPTO. DE PESQUISA E EXPLORAÇÃO OCEÂNICA/NOAA
Image captionPesquisadores não identificaram a espécie desta esponja, mas acreditam que os pontos brancos em seu corpo podem ser embriões
TamborilImage copyrightDEPTO. DE PESQUISA E EXPLORAÇÃO OCEÂNICA/NOAA
Image captionEsse tamboril usa a estrutura entre seus olhos para atrair presas e as engole de uma só vez com sua grande boca
Megalodicopia hiansImage copyrightDEPTO. DE PESQUISA E EXPLORAÇÃO OCEÂNICA/NOAA
Image captionEsse animal marinho invertebrado que fica preso a rochas ou no leito do oceano à espera de que presas entrem em sua boca
EnteropneustaImage copyrightDEPTO. DE PESQUISA E EXPLORAÇÃO OCEÂNICA/NOAA
Image captionOs registros incluem essa enteropneusta deixando seu característico rastro de fezes no leito do oceano
CoralImage copyrightDEPTO. DE PESQUISA E EXPLORAÇÃO OCEÂNICA/NOAA
Image captionUm close um coral pouco antes de ele ser coletado para análises