quarta-feira, 19 de julho de 2017

Moro bloqueia 168 mil euros, apartamentos e carros de Lula

Lula da Silva em conferência de imprensa no dia 13
Pedido chegou do Ministério Público ao gabinete do juiz da Lava-Jato e refere-se aos supostos crimes cometidos contra a petrolífera Petrobras. Ex-presidente ainda não se manifestou 
Sérgio Moro bloqueou 606 mil reais - equivalente a cerca de 168 mil euros - de Lula da Silva, noticiou o jornal O Estado de S. Paulo. Além daquela quantia, o juiz que coordena a Operação Lava-Jato a partir da cidade de Curitiba deu ordem ainda para confiscar três apartamentos e um terreno, imóveis situados e São Bernardo do Campo, na região de São Paulo, e dois veículos cuja propriedade é do ex-presidente do Brasil. A ordem vem na sequência de um pedido do Ministério Público Federal.

O pedido inicial dos procuradores da República pretendia o bloqueio de 192 milhões de reais - aproximadamente 53 milhões de euros - tendo em conta multas e outras reparações por danos causadas à petrolífera Petrobras, epicentro dos crimes investigados na Lava-Jato. Mas foi constatado que Lula não dispunha desse património.
Além de Lula, outro dos alvos do requerimento do ministério público é Marisa Letícia, a mulher do antigo sindicalista falecida em fevereiro deste ano. Os procuradores justificam o pedido "na formação de um esquema delituoso de desvio de recursos públicos destinado a enriquecer ilicitamente, bem como, visando a perpetuação criminosa no poder".

O dinheiro bloqueado foi encontrado em quatro contas de Lula, duas nos estatais Banco do Brasil e Caixa Económica Federal e duas nos privados Itaú e Bradesco.
Já na sentença divulgada por Moro no último dia 12, o juiz aplicara uma multa de 16 milhões de reais - 4,3 milhões de euros - além da pena de nove anos e meio de prisão por corrupção passiva e lavagem de dinheiro ao antigo sindicalista.

Lula, que além de presidir ao Brasil de 2003 a 2010 ainda pretende candidatar-se às eleições presidenciais do próximo ano, não se manifestou por enquanto sobre o bloqueio.
Em São Paulo

Nenhum comentário:

Postar um comentário